Pular para o conteúdo principal

Trump Ordenou a Remoção dos Símbolos e Práticas Islâmicas da Casa Branca

Trump Ordenou a Remoção dos Símbolos e Práticas Islâmicas da Casa Branca
Por Ike A. Offor – 23/01/2017

NOTA: 
Traduzi este artigo no calor da posse de Donald Trump e ele circulou amplamente nas redes sociais. Posteriormente o autor sofreu críticas e o removeu e as agências de “fact-checking” passaram a considera-lo “fake”. Pensei em removê-los resolvi mantê-lo pelas seguintes razões:
1.    Obama tinha realmente um grande número de assessores praticantes do Islã;
2.    Obama recebia muitas delegações de muçulmanos na Casa Branca;
3.    Obama tinha e tem um comportamento parecido com o dos muçulmanos e é bastante crítico com o cristianismo, como pode ser visto neste vídeo e neste outro vídeo;
4.    Várias coisas que o artigo menciona podem ter sido exageradas, mas não foram refutadas frontalmente;
5.    Faço referências a este artigo em vários artigos posteriores.


Luigi B. Silvi

  

Obama não foi mais visto nas proximidades da Ala Oeste da Casa Branca depois que assessores da equipe de transição de Trump começaram a redigir os decretos para a nova administração.

Pelas ordens de Trump, um dos mais secretos rituais de Obama estava sendo revertido e todos os sinais dele seriam removidos da Avenida Pensilvânia, 1600 [endereço da Casa Branca]

Durante os últimos 8 anos, para agradar os muçulmanos que trabalham ou visitam a Casa Branca, foi ordenado a todos os presentes a fazerem silêncio 5 vezes por dia, durante os horários das orações dos muçulmanos.

Além disso, tapetes de orações e símbolos da lua crescente [islâmica] estavam disponíveis em diversas áreas da mansão, para maior conforto dos muçulmanos.

A administração defendia a prática declarando serem observados momentos de respeitoso silencio durante os horários das orações de várias outras religiões, inclusive 15 segundos aos domingos no horário em que o capelão abençoava o desjejum dos Cristãos.

Nenhuma oração é obrigatória ou deve ser liderada por agentes do governo, o que foi permitido pela administração [de Obama] subvertendo a Primeira Emenda [da Constituição], em óbvio favorecimento ao Islã, que observa 25 minutos diários de orações, nos 7 dias da semana, contando uma história que o ex-presidente vinha negando há 8 anos.


O Presidente Donald Trump, reconhecendo que este país foi fundado por Cristãos e desenvolvido pela moralidade Cristã, todos os símbolos pagãos serão que ser removidos da propriedade, a não ser os que tenham alguma significância histórica.

Somente a cruz na capela da Casa Branca permanece como objeto de oração.

Jim Mergernerlerny, chefe da equipe de transformação a Casa Branca de Obama para a segunda casa da família Trump, informou para a [rede de televisão] MSNBC:

“O Sr. Trump não vê necessidade de prover tapetes de oração e falsos ídolos numa casa construída por Cristãos. A cidade de Washington oferece diversos centros culturais para qualquer tipo de veneração. Não encontrará também qualquer outra consideração especial pelo Judaísmo ou crucifixos para agradar os Católicos.  

Há apenas uma pequena capela, com uma simples cruz numa parede, adequada para orações de qualquer pessoa. Nosso governo não vê necessidade de forçar rituais de orações goela abaixo das pessoas, como também nós não ‘ofenderemos’ ou nos desculparemos para gente que está sempre procurando jeitos de explodir-nos.

Patriotas de todos os Estados Unidos podem ficar seguros de ter chegado ao fim o tempo de desculpar-nos por praticarmos a nossa fé”.

                                     -o-o-o-o-o-o-o-

Texto extraído de notícia publica no link:
                                                             
Contato: spacelad43@gmail.com

Significado de outras palavras árabes:



Comentários