Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2016

Estatísticas sobre os Jogos Olímpicos de 2016

Estatísticas sobre os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro. (atualizado em 21/8/2016)     Terminados os Jogos Olímpicos de 2016, resolvi fazer algumas contas sobre a participação de atletas brasileiros desde 1980, Olimpíada a partir da qual a participação tornou-se mais consistente. Segundo a tabela abaixo, em 2016 o Brasil bateu vários recordes, 19 medalhas no total, sendo que 7 foram de ouro, 6 de prata e 6 de bronze, ficando na 13ª posição geral. A maior quantidade de medalhas anterior foi 17, em 2012. A maior quantidade de medalhas de ouro anterior foi 5, em 2004 e a melhor posição havia sido 16, também em 2004. Desempenho do Brasil em Olimpíadas desde 1980  Em 2016, a participação teve a melhor posição, maior quantidade de medalhas de ouro e maior quantidade total de medalhas, mas teve também o maior número de representantes. A meta do Comitê Olímpico Brasileiro era a conquista de 27 medalhas no total, mas ficamos só com 19. Se olharmos a qu

Terra do Islã e Terra da Espada

“Terra do Islã” e “Terra da Espada”     (Atualizado em 11/08/2016) Para os muçulmanos, o mundo está dividido em apenas duas partes sem fronteiras, separadas apenas por “frentes de combate”. Um dos lados é a “Terra do Islã” ( Dar Al-Islam ), onde reina a “Pax Islâmica” e a outra é a “Terra da Espada” ( Dar Al-Harb ), na qual os valorosos guerreiros islâmicos combatem na eterna “ Jihad ” (Luta pela causa de Allah ) contra os descrentes.     Na “Terra do Islã”, os não-muçulmanos só podem residir na condição de “ dhimmi ” (vassalo) e praticar suas religiões de forma limitada, além de terem de pagar a “ jizya ” (taxa proteção). O que diferencia a “Terra do Islã” da “Terra da Espada” é o fato que os líderes muçulmanos de regiões fronteiriças não devem ficar satisfeitos em viver em uma paz duradoura com países e territórios fronteiriços não-muçulmanos. Tréguas temporárias podem ser celebradas, mas os indivíduos muçulm

Esquerdismo Brasileiro e os Símbolos da Pátria

ESQUERDISMO BRASILEIRO E OS SÍMBOLOS DA PÁTRIA (Atualizado em 25/10/2016) Que o esquerdismo brasileiro tem aversão aos símbolos da pátria é de conhecimento geral. Seus adeptos procuram evitar quaisquer situações que os ponham em contato com a bandeira nacional, hino nacional, brasão da república, insígnias militares e outros símbolos de identidade nacional. Também não gostam das bandeiras dos países democráticos capitalistas do primeiro mundo. Fogem da bandeira dos Estados Unidos como o diabo foge da cruz. Veja aqui alguns militantes do PCdoB  queimando a bandeira  do Brasil, enquanto cantam palavras de ordem conta a "ditadura", com atraso de mais de 30 anos, assim como são as ideias deles. As únicas ditaduras ainda existentes na América Latina são as de Cuba e Venezuela. Adoram, no entanto, bandeiras comunistas bem vermelhas com foice, martelo e a estrela vermelha bem visíveis. Têm adoração à bandeira de Cuba, da Coréia do Norte, China e da antiga União Soviéti

Considerações e dicas sobre Redes Sociais

Considerações e dicas sobre Redes Sociais (atualizado em 30/12/2017) Desejando conhecer, debater, redigir e divulgar textos sobre assuntos de minhas áreas de interesse, fiz algumas pesquisas sobre as melhores formas gratuitas disponíveis. Para divulgação encontrei o  Facebook , o   Instagram , o   Google+ , o   Twitter    e o  Youtube .   Todos têm aplicativos específicos para tablets e smartphones. Para evitar a censura que começou a ocorrer no início de 2017, o pessoal está usando o Hooktube , como alternativa ao Youtube e o Gab.ai , como alternativa do Twitter. Para guardar e mostrar textos curtos (como este) achei o Blogger  e o Wordpress ;  Para guardar e exibir vídeos tem o  Youtube ; Para guardar arquivos de textos longos (doc, pdf) pode ser o Google Drive . Ainda podem ser usados o Whatsapp e o correio eletrônico, como auxiliares na divulgação. Todos são gratuitos. Não encontrei qualquer local único onde pode-se fazer tudo isso gratuitamente. Se