Pular para o conteúdo principal

Redes Sociais Também Estão em Perigo

Redes Sociais Também Estão em Perigo
(29/08/2017)

Todos sabem que as grandes redes de jornais e televisão de todo o mundo, exceto algumas raras exceções, estão comprometidas na divulgação da agenda socialista e no controle das publicações, pois a quase totalidade delas são de propriedade de multibilionários socialistas ou de príncipes muçulmanos, aliados no grande projeto de globalização.

Por causa disso os jornalistas e escritores não alinhados tomaram conta dos espaços das redes sociais, divulgando a agenda da livre expressão em blogs, sites, Twitter, Youtube, Facebook, WhatsApp e outros.

A divulgação de notícias verdadeiras nas redes sociais compensou o viés socialista da grande mídia e permitiu a vitória do BREXIT (saída da Inglaterra da União Europeia), a vitória de Donald Trump nos Estados Unidos e a demissão de Dilma Rousseff, a derrocada de Lula e a ascensão de Jair Bolsonaro no Brasil.

Percebendo o fenômeno, os globalistas estão tomando providências no sentido de estabelecer algum tipo de controle também sobre as publicações nas principais redes sociais.

Quem deu o primeiro alerta foi o ativista Robert Spencer num artigo em seu site Jihadwatch.org, no qual informou ter verificado uma queda dramática nas visualizações de seus artigos, de um dia para outro. A queda, segundo ele, foi de mais de 80%. Suspeitava ser por algum filtro da ferramenta Google Search.

Logo depois teve aquele caso do engenheiro de software da Google, James Damore, despedido sumariamente após denunciar uma grande discriminação contra os empregados da empresa não alinhados à agenda globalista.

Além de Robert Spencer, vários outros ativistas de direita manifestaram sofrerem discriminações em suas publicações no Youtube, Facebook e Twitter, entre eles estão Paul Joseph Watson, Pamela Geller, Tommy Robinson, Katie Hopkins, que mencionaram terem problemas de censura semelhantes. Outros ativistas de direita do calibre desses também devem ter problemas de censura.

 Digo isto porque tenho um modesto canal no Youtube e tive dois vídeos removidos por “promoverem violência religiosa”, segundo a mensagem que recebi. Acabei armazenando os vídeos no Google Drive. Um deles mostra alguns meninos muçulmanos praticando tiro ao alvo e outro é de Donald Trump recitando a letra de uma música chamada “Cobra Venenosa”. O mesmo vídeo com o nome “The Vicious Snake” está no Youtube e já teve quase 7 milhões de visualizações. A única diferença é que o vídeo que eu legendei tinha a palavra “Refugiados”.

Tenho outros vídeos publicados com doses muito maiores de violência, sem que o Youtube tenha se interessado em remover. Um deles é uma coletânea de mortes violentas de assaltantes, que alcançou mais de 700 mil visualizações. Os outros vídeos com violência, talvez não tenham sido removidos porque não tratam de assuntos relacionados ao Islã, aquela “religião da paz”, cujos integrantes cometem assassinatos em massa rotineiramente.

Tudo isso acendeu uma luz amarela na minha cabeça, pois me dei conta que as ferramentas que uso para divulgação de meus textos, artigos que traduzo e vídeos que legendo, estão todos armazenados em locais de propriedade da mesma empresa: Youtube, Google Drive e Google Blogger.

Tenho que admitir que os escolhi depois de pesquisar as ferramentas gratuitas para divulgação do meu trabalho. DropBox, One Drive, 4Shared e outros são muito inferiores nas suas versões gratuitas que as ferramentas de Google. É claro que isso tem algum interesse adicional da Google: controle.

Além disso uso a ferramenta de pesquisa Google Search e o navegador Google Chrome, meu correio eletrônico é da Google Mail e também uso o Google+. Estou 100% na mão de uma única empresa, que agora resolveu estabelecer uma censura seletiva e discriminatória.

Minha primeira providência foi congelar o blog do Google Blogger e passar para o WordPress, um pouco inferior na versão gratuita, mas aceitável para meus propósitos. Agora estou tentando mudar o local de armazenamento privado de alguns vídeos, mas não vejo qualquer sinal de aparecer um local melhor que o Youtube para publicação de vídeos públicos.

                                                    Luigi B. Silvi


Contato: spacelad43@gmail.com
Twitter: @spacelad43